CELIDÓNIA: AMIGA DO FÍGADO E DA VESÍCULA


Utilizada na medicina tradicional chinesa e em homeopatia, a celidónia tem qualidades antibacterianas e mesmo anticancerígenas.

Segundo a teoria das assinaturas, esta planta devido à semelhança da seiva com a bílis, estaria indicada para problemas de fígado e vísicula, tal como hepatite e outros problemas das vias biliares e do trato gastrointestinal.


Celidónia – chelidonium majus L.

A celidónia era já conhecida dos médicos da Antiguidade, que a aconselhavam para doenças dos olhos. O seu nome vem do latim coeli donum que significa dom dos céus. Existe também outra crença de que o seu nome derive do grego chelidôn que significa andorinha, pois florescia no tempo da migração destas aves.

Actualmente, com os ritmos da estações todos alterados, floresce muito mais cedo e durante mais tempo.

No meu jardim onde comecei por ter uma pequena planta num vaso debaixo de um sabugueiro. Tenho agora uma belíssima cobertura de solo, de flores amarelo cintilante durante vários meses. Sendo a celidónia uma Papaverácea de delicadíssimas sementes como as da papoila, estas disseminam-se por todo o lado. Surge nas frestas dos muros e caminhos, do meu quintal e do quintal dos vizinhos.

A celidónia é uma planta herbácea, vivaz, que podemos encontrar na Europa, Ásia Central e Meridional. Aclimatada também na América muito comum em lugares sombrios e húmidos, muros, bermas de caminhos e entulhos, até 1500 metros de altura. Frequente na serra de Sintra mas cresce um pouco por todo o país. Pode atingir cerca de 1 metro de altura, apresenta caule ramoso e cilíndrico, frágil e quebradiço; suco leitoso amarelo- alaranjado; folhas penadas e lobadas como as do carvalho; flores amarelo-dourado com numerosos estames e duas sépalas amarelas caducas; rizoma grosso e numerosos caules; sabor ocre e amargo.

O seu nome científico é chelidonium majus L., entre nós é ainda conhecida pelo nome de erva-andorinha, quelidónia maior ou ceruda. Os ingleses dão-lhe o nome de greater celandine ou swallow wort.



Constituintes

O seu latex de cor alaranjada contêm cerca de 10 alcalóides. Sendo a quelidonina o alcalóide principal, contém ainda berberina,sanguinarina; ácidos orgânicos (málico, cítrico e quelidónico), saponinas, carótenóides e flavonóides.


Propriedades e aplicações

A forma mais segura de utilizar esta planta é em aplicação tópica para tumores cutâneos (verrugas, condilomas e papilomas). Utilizando o látex sobre as verrugas deve-se ter o cuidado de não utilizar em chagas ou feridas abertas devido à sua acção corrusiva e irritante da pele. No entanto, esta é utilizada com acompanhamento médico ou especialistas de saúde para tratar problemas do fígado e da vísicula, actuando como um estimulante dos mesmos, sendo específico em casos de pedra ou infecção da vísicula.

Devido às suas propriedades narcóticas há quem lhe atribua qualidades antibacterianas e mesmo anticancerígenas. É ainda sedativo, laxativo, antitússico e antiviral, anti-inflamatório, estimulante do útero e sistema circulatório. Utiliza-se a raiz na medicina tradicional chinesa e em homeopatia.


Cuidados

Não se recomenda o uso interno desta planta a não ser com acompanhamento especializado, pois para além de irritação da pele e das mucosas, poderá causar tosse ou problemas respiratórios se ingerida para além das doses recomendadas. É proíbida a grávidas. A celidónia está sujeita a restrições legais nalguns países.



https://revistajardins.pt

11 visualizações

© 2020 Cooagrical 

CONTACTOS

Sede:    

Rua da Palmeira, nº9

Cruz Armada -Imaginário

2500 - 292 Caldas da Rainha

Tel: 262 830 250

 

Loja:

Rua do Sacramento, nº 12

2500-182 Caldas da Rainha

Tel: 262 842 145

Email:

geral.cooagrical@gmail.com

  • Facebook Social Icon
  • Instagram
SIGA-NOS EM