top of page

Como eliminar pulgas e carraças? Dicas para se proteger a si e ao seu melhor amigo

Com o início da Primavera, começam os problemas com os parasitas.

Saiba como eliminar pulgas e carraças de uma forma eficaz e definitiva e proteja-se!

As pulgas e carraças são os parasitas externos mais comuns nos nossos animais de estimação. Apesar de serem conhecidos de longa data para o homem, a grande questão continua a ser:


  • como eliminar pulgas e carraças definitivamente?


Com a chegada do tempo mais quente, normalmente nos meses de Março e Abril, começamos a reparar numa maior incidência de parasitas externos. Para além da questão relacionada com a higiene e bem-estar dos nossos animais, é importante salientar que as pulgas e carraças são também um problema de saúde pública, pois, podem ser vectores de doenças que se podem transmitir aos humanos – zoonoses.

Para entender melhor como eliminar pulgas e carraças, deve compreender o que são estes dois parasitas e como se transmitem.


COMO ELIMINAR PULGAS E CARRAÇAS – CONHEÇA ESTES PARASITAS


1. PULGAS

As pulgas são insetos com cerca de 3mm, de cor escura, que se alimentam de sangue de mamíferos (hematófagos).

Passam por duas fases de vida: ovos que caem do pêlo do animal e ficam instalados em tapetes, pavimentos, mantas, relva ou outros sítios menos acessíveis e não são visíveis a olho nu; os ovos eclodem e nascem larvas que se deslocam para locais quentes e com pouca luminosidade (rodapés e frestas do soalho e tijoleira) até sentirem um aumento de pressão e temperatura passando à fase adulta.


As pulgas transmitem-se facilmente pois, são dotadas de uma capacidade de salto até 200 vezes maior do que o seu tamanho.

Quando, na fase adulta, as pulgas picam para se alimentarem, segregam uma substância irritante causadora de prurido intenso. Alguns animais mais sensíveis podem desenvolver uma alergia a essa mesma substância e desenvolver uma Dermatite Alérgica à Picada de Pulga (DAPP).


As pulgas podem ser também vetores de doenças como Peste Bubónica, Febre tifóide e parasitas intestinais (Dippilidium caninum). Quando a infestação é grave, o animal pode chegar a desenvolver uma anemia que o poderá levar à morte.


Evite problemas de maior e mantenha sempre o seu animal protegido. 


2. CARRAÇAS

As carraças são o segundo parasita externo mais frequente nos nossos animais de estimação, sendo mais raro aparecer em gatos. São também hematófagos e precisam de um hospedeiro para sobreviver e reproduzirem-se, no entanto, passam a maior parte do seu ciclo de vida no ambiente externo. Quando adultas, depois de se alimentarem do seu hospedeiro, depositam os seus ovos no solo desenvolvendo-se em zonas de vegetação com humidade.


A carraças não têm capacidade de voar nem saltar, transmitem-se por contacto directo com o animal, colocando-se em posições estratégicas, como por exemplo na extremidade da vegetação em horas de menor calor, aguardando pela passagem do seu hospedeiro.


A picada das carraças pode ser indolor, no entanto, também pode provocar uma reação alérgica ou infeção cutânea no local. Ainda assim, o maior perigo é relativo a doenças infeciosas que podem ser transmitidas ent