top of page

VERÃO É TEMPO DE INSECTOS E… PRAGAS!


Com o tempo de Verão a aquecer, as plantas aumentam a sua atividade. Com as condições verificadas este ano, com bastante chuva, os crescimentos tornam-se vigorosos e abundantes. A meteorologia favorável para as plantas permite também que pragas e insectos se desenvolvam de forma igualmente rápida e severa.


Felizmente, que quando existem condições para pragas, estas são também propícias aos seus inimigos naturais. Por isso, devemos tentar reconhecer os insetos que encontramos no jardim ou na horta e perceber de que lado estão… E muitos estão do nosso lado.


Os insetos são um grupo de animais riquíssimo, tanto em número de espécies, como nas diferentes estratégias que utilizam para sobreviver.

Basta reparar que no nosso jardim, se olharmos para uma planta, o mais provável de vermos primeiro será um inseto. Parte deles alimentam-se de plantas, danificando-as ou transmitindo doenças vegetais. Outra grande parte, os auxiliares, alimentam-se dos insetos que os seres humanos consideram prejudiciais.


De uma forma geral, nos nossos jardins e hortas, os grupos de pragas mais comuns são:

  • lepidópteros (borboletas e suas lagartas);

  • coleópteros (escaravelhos);

  • tisanópteros (tripes);

  • afídeos (também chamados pulgões ou piolhos-das-plantas);

  • cochonilhas;

  • e dípteros (moscas).


As borboletas e as traças


São de fácil reconhecimento, bem como as lagartas, e são estas últimas as que causam estragos dado que se alimentam de folhas ou outros órgãos das plantas. Apesar de os adultos serem bonitos, algumas espécies podem ser muito destruidoras na horta, como no caso da borboleta-da-couve (Pieris brassicae).

Os seus estragos são facilmente reconhecidos uma vez que, geralmente, correspondem a roeduras perto das quais é habitual encontrar-se o culpado.


Os escaravelhos

Os coleópteros também possuem muitas espécies praga como o famoso escaravelho-da-batateira (Leptinotarsa decemlineata), ou o escaravelho-da-palmeira (Rhynchophorus ferrugineus). De uma forma geral, os coleópteros são facilmente reconhecidos pelo seu aspeto blindado, resultado de as suas asas protetoras serem muito duras e ricas em quitina.

Este grupo tem hábitos muito variados, desde espécies que se alimentam de folhas como outras que preferem alimentar-se de raízes no solo.


Os tripes são insetos muito pequenos, raramente excedendo 1 mm, que são frequentemente encontrados em flores. São insetos que se alimentam picando e sugando as plantas. Algumas espécies preferem alimentar-se em folhas, causando pequenas manchas prateadas com pequenos pontos negros.


Estes sintomas são muito frequentes em pepino e em feijão-verde. No entanto, o pior problema associado aos tripes é o facto de estes serem transmissores de vírus de plantas.


Os afídeos são talvez o grupo mais comum pragas e insectos. É habitualmente reconhecido por toda a gente, uma vez que formam colónias grandes nas plantas durante a primavera e verão. Também se alimentam sugando a seiva das plantas e, tal como os tripes, podem transmitir doenças às plantas.


Os afídeos reproduzem-se rapidamente porque as fêmeas dão à luz crias vivas que, em poucos dias, estarão também a produzir as suas crias.