top of page

BATATA-DOCE: CONHEÇA AS TÉCNICAS DE CULTIVO


Cada vez mais consumida em Portugal, é um alimento muito saudável que protege contra o cancro, arteriosclerose, doenças da pele, coração e olhos.


Ficha técnica (cultura da batata-doce):

Nomes comuns: Batata-doce; boniato; moniato; camote; aje; patati; camoli; Kumara .

Nome científico: Ipomea batatas Lam, Colvolvulus Batatas L , Batata edulis Choisy, (o nome Ipomea significa “parecido com um verme” e o nome batata foi dado pela tribo taino das Bahamas).

Origem: América do Sul e Central ou África.

Família: Convolvulaceae ou Convulvuláceas .


Características: Planta herbácea de caule tenro, trepadora (alastra-se no solo até 2-3 m). As folhas são alternas, numerosas em forma de coração de cor verde-escura, podendo ter manchas roxas, púrpuras ou vermelhas.

Possui raízes ramificadas e fibrosas, algumas engrossam, dando origem a grandes tubérculos carnosos de forma, peso e cores diferentes, segundo a variedade. As flores são campaniformes grandes de cor roxa. A polinização é entomófila.


Factos históricos:

Cultivada por índios da América do Sul há milhares de anos (incas, maias e astecas), foi trazida na época dos Descobrimentos, espalhando-se pela Europa apenas no século XVI. Foi o cientista Humboldt que afirmou que a batata-doce estava entre os produtos trazidos para Espanha das Américas por Cristóvão Colombo.

O seu uso na alimentação surgiu no século XVII e é considerada uma das 12 culturas fundamentais, servindo de alimento aos povos mais carentes do planeta.

Os principais produtores são a China, a Índia, a Indonésia e Japão. Em Portugal, há a batata-doce de Aljezur (IGP), apreciada pela polpa doce, delicada e fina.


Ciclo biológico:

Permanente ou contínuo, em Portugal.

Ciclo de 4-6 meses.


Variedades mais cultivadas:

Existem mais de 400 variedades que se podem classificar consoante a cor. Temos cultivares brancos, amarelos, roxos e vermelhos (mais doces e saborosas). As mais conhecidas são: “Amarela de Málaga”, “Boniato” (vermelha) , “Copperskin” (laranja) “Rosada de Málaga”, “Mínima”, “Branca”, “Roxa da América”, “”Centennial”, “Catemaco”, “Dulce”, “Nemagold”, “Japanese”(pele branca), “White Maltese” (polpa branca seca), “Beauregard”, “Jewel”, “Gem”. Em Portugal, a variedade “Lira” (polpa amarela, de Aljezur) é a mais cultivada.


Parte utilizada:

Tubérculo que pode ter entre 200 g e 6 kg, mas costuma ter 100 a 400 g.


Condições ambientais

Solo: Gosta de solos ligeiros, profundos, soltos (arenosos ou areno-argilosos), frescos, ricos em matéria orgânica, húmidos com boa drenagem e arejados. Prefere solos, com pH de 5,5-7.

Zona climática: Temperado (com verão quente), tropical e subtropical.

Temperaturas: ótimas: 24-27 ºC; minima: 10 ºC; máxima: 30 ºC.

Paragem do desenvolvimento: 9 ºC.

Exposição solar: A floração e tuberização gos