top of page

Suculentas - Conheça algumas espécies que vai adorar ter em casa e os cuidados a ter

Se é daquelas pessoas que quer ter um jardim em casa, mas não tem muito tempo para cuidar dele, a solução perfeita para si são as suculentas.

São plantas bonitas, fáceis de plantar e extremamente versáteis no que diz respeito à decoração da sua casa, dando um toque especial ao seu lar. As suculentas são plantas que podem viver bem em espaços interiores pois, além de consumirem pouca água possuem uma diversidade enorme de espécies que pode escolher conforme as suas preferências.

Neste artigo ficará a conhecer algumas espécies de suculentas bem como saber cuidar corretamente deste tipo de plantas, tornando-as bonitas e saudáveis.

Aprenda a cuidar destas plantas corretamente


  1. Exposição solar, é necessária! A maioria dos catos e suculentas precisa de contato direto solar para viver. No entanto, isto não acontece em todos os casos. Há espécies de suculentas que preferem luz indireta ou poucas horas de exposição solar – Meia luz. É fundamental saber que as suculentas são pouco tolerantes a ambientes de sombra, sendo por essa razão indispensável um cantinho da sua casa com uma boa iluminação.

  2. Rega das suculentas, um aspeto muito sensível A rega é um fator muito importante e que vai definir a beleza e desenvolvimento das suas suculentas. Essas plantas precisam de pouca água para viver e por essa razão muitas pessoas acabam por matá-las devido ao excesso de água. As folhas das suculentas são carnudas por um simples motivo: elas necessitam de armazenar água no seu interior o que as tornam mais resistente à seca. Não há uma regra específica para as regas. No entanto, é aconselhável regar uma vez por semana no Verão e duas a três vezes por mês no Inverno. Quando realizar esta rega, tente regar em muito pequenas quantidades, molhando apenas o solo. Evite também regar demasiado as folhas das suculentas pois estas podem acabar por apodrecer. Evite também a utilização de pratos. Um teste que pode fazer para avaliar a necessidade de água das suas suculentas é o teste do dedo. Para tal, coloque o dedo no solo e verifique se a terra se “agarra ao dedo”. Se a terra não se agarrar, significa que o solo está seco e solto e, portanto, precisa de ser regado. Caso o dedo ficar com terra “agarrada”, significa que o solo ainda tem os níveis de humidade garantidos e por isso deve aguardar mais um pouco para proceder à sua rega.

  3. Escolha um substrato adequado a estas plantas A melhor opção de substratos para suculentas (bem como para cactos) deve ter na sua composição areia, terra adubada e “pedrinhas”. Pode fazer este substrato em casa, misturando duas partes de terra por cada uma parte de areia finalizando com as “pedrinhas”. Quanto à terra que deve compor os substratos, esta deve ser leve, sem torrões de forma a que a drenagem da água e nutrientes não seja comprometida. É importante salientar que, as suculentas gostam de solo leve, solto e com um bom arejamento.

  4. Aprenda a “montar” o seu vaso de suculentas corretamente A primeira etapa que deve ter em atenção para montar o seu vaso de suculentas é a criação de uma barreira de drenagem. Para tal, pode usar cascalho ou argila expandida que funciona muito bem para este fim. Depois disto, pode cobrir o anteriormente preparada com uma manta TNT, que garantirá que o substrato não se perca com as regas que serão efetuadas. Depois desta etapa, chegou o momento de adicionar o substrato e posteriormente colocar a suculenta que deseja plantar no vaso respectivo. Um procedimento importante é retirar as folhas velhas e limpar as que se encontram sujas. Finalize depois a montagem do vaso de suculentas com “pedrinhas” ou outros materiais semelhantes.

  5. Os adubos e fertilizantes para suculentas devem merecer a sua atenção A adubação orgânica é uma das melhores e mais conscientes fertilizações que podem ser consideradas. Para tal, pode utilizar para o efeito húmus de minhoca ou outro composto orgânico.

5 espécies que deve conhecer

Orelha de gato (Kalanchoe tomentosa)

As suculentas orelha de gato também conhecidas como planta do panda, são originárias de Madagáscar e possuem  folhas carnudas  cobertas por pêlos de reduzida espessura e esbranquiçados, conferindo-lhe um toque/aspecto de veludo à planta.

Na extremidade das suas folhas, é visível ver pêlos finos e brancos, e confere um aspecto bem aveludado à planta.

Na ponta das folhas, é possível identificar umas “pintas” em vermelho, que lhe conferem um ar bem exótico.